Portal de Recrutamento > Recrutamento Marinha > Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes

Área de informação útil sobre dúvidas frequentes no âmbito da admissão.

O ingresso na Marinha faz-se através de candidatura aos concursos que são abertos para as diferentes classes e categorias, através de aplicação online disponível em http://candidaturas.marinha.pt​

​• No site candidaturas.marinha.pt através de Candidatura Online;
• No Centro de Recrutamento da Armada (Praça da Armada – Lisboa) Telf. 213 945 469 ou 800 204 635 (chamada grátis a partir da rede fixa);
• Através dos correios para Centro de Recrutamento da Armada – Praça da Armada – 1350-027 Lisboa;

• Através do correio eletrónico em: recrutamento@marinha.pt 

​Através de consultas periódicas à página da Internet da Marinha, aos Diários da República II série, através das Autarquias Locais, Capitanias e Delegações Marítimas ou através de contacto presencial, via telefónica, por e-mail para o Centro de Recrutamento da Armada, em Alcântara (recrutamento@marinha.pt) ou através da nossa página do Facebook (https://www.facebook.com/RecrutamentoMarinha).

​Para concorrer à Marinha é necessário aguardar a abertura dos concursos. Depois de sujeitos a provas de classificação e seleção, os candidatos são ordenados e alistados nas diferentes classes, tendo em consideração o número de vagas abertas a concurso.

​Pode, desde que apresente documento de equivalência ao ensino em Portugal, emitido pelo Ministério da Educação.

As habilitações literárias mínimas é o 9.º Ano de escolaridade para a categoria de Praças em Regime de Contrato.

Não. Com o 12º ano pode também concorrer-se a oficial da classe de fuzileiros ou a praça de qualquer classe, ambos em regime de contrato. No que toca ao ingresso nos Quadros Permanentes, poderá também concorrer à categoria de Praças da Classe de Músicos.

​• Categoria de praça: 24 anos;
• Categoria de oficial fuzileiro: 24 anos (com o 12º ano) e 27 anos (com mestrado ou licenciatura);
• Categoria de oficial (nas classes de técnico superior naval ou técnico naval - TSN/TN): 27 anos.

​Não. O ingresso na categoria de sargentos é efetuado através de concursos internos aos militares na categoria de praças.

​As provas constam de inspeções médicas, provas físicas e testes psicotécnicos. Pode consultá-las aqui.

Pode consultar aqui.

Pode consultar aqui.

​Pode, caso se trate de uma inaptidão temporária.

Pode consultar aqui.

​Sim. Os Fuzileiros são militares que compõem uma força combatente, desempenhando missões em unidades de fuzileiros ou em unidades navais em funções compatíveis com a sua formação específica. ​​

​A Taifa é uma classe onde se desempenham funções equivalentes às desempenhadas no âmbito da hotelaria e engloba as subclasses de Despenseiros, Cozinheiros e Padeiros.

​Não. Nas Forças Armadas não é permitido descer de categoria.

​Ter idade não superior a 21 anos, em 31 de dezembro do ano do concurso.

​Para obter informações detalhadas sobre o assunto, consulte o site escolanaval.marinha.pt, contacte através do e-mail escnaval.divulgacao@marinha.pt ou através dos telefones 808 201 467 ou 210 901 900.

Sim, para a classe de oficiais fuzileiros se quiser ser oficial fuzileiro dos QP é necessário concorrer à Escola Naval e fazer a prova do elenco estabelecido pelo Ministério da Educação de Matemática A. No entanto, caso queria saber mais informações sobre as condições gerais de admissão poderá consultar o link: https://escolanaval.marinha.pt/pt/admissao/condicoesgerais

A duração dos mestrados integrados na Escola Naval é atualmente de 5 anos letivos, de acordo com o estabelecido no processo de Bolonha.
Para mais informação sobre os mestrados integrados consulte o link: https://escolanaval.marinha.pt/pt/ensino/mestradosintegrados.



Sim. Para ter mais informação sobre as provas físicas poderá consultar essa informação em https://escolanaval.marinha.pt/pt/admissao_web/fasesdoconcurso_web/Paginas/provasfisicas.aspx.

Sim, desde que autorizado pelo chefe do estado-maior do respetivo ramo, sejam preenchidos os requisitos necessários para admissão a concurso (idade, habilitações, disponibilidade para cumprimento do contrato, etc).

Em unidades em terra, navios, unidades de fuzileiros ou de mergulhadores.

Pode prestar-se serviço em Portugal Continental ou nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Ao Comando Geral da Polícia Marítima – Repartição de Gestão de Pessoal, Marinha, Praça do Município, 1149-001 Lisboa (Telf. 213 217 620).

​Durante as cinco semanas de recruta pode desistir-se sem necessidade de indemnizar a Marinha. Depois da recruta e do Juramento Bandeira a desistência implica o pagamento de uma indemnização.

Os militares que prestaram serviço efetivo em RC podem, mediante requerimento ao ALM CEMA, voltar a ingressar na Marinha, desde que, seja um requerimento para concorrer ao concurso para ingresso nos QP na categoria de Praças ou ao Concurso de Admissão ao CFS ao abrigo do artigo 25º do Regulamento de Incentivos.

​Os elementos da Polícia Naval são fuzileiros, pelo que para fazer parte desta polícia é necessário concorrer à classe de fuzileiros.

Pode consultar aqui.

​Não. Em algumas classes não está previsto o embarque, designadamente na classe de Músicos, Técnicos Superiores Navais (TSN), Técnicos Navais (TN), Condutores Mecânicos de Automóveis.

​Sim. Qualquer pessoa pode concorrer mais que uma vez a um concurso ou a outros concursos, desde que cumpra com as condições de admissão.