Portal de Recrutamento > Recrutamento Marinha > Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes

Área de informação útil sobre dúvidas frequentes no âmbito da admissão.

O ingresso na Marinha faz-se através de candidatura aos concursos que são abertos para as diferentes classes e categorias, através de aplicação online disponível em http://candidaturas.marinha.pt​

​• No site candidaturas.marinha.pt através de Candidatura Online;
• No Centro de Recrutamento da Armada (Praça da Armada – Lisboa) Telf. 213 945 469 ou 800 204 635 (chamada grátis a partir da rede fixa);
• Através dos correios para Centro de Recrutamento da Armada – Praça da Armada – 1350-027 Lisboa;

• Através do correio eletrónico em: recrutamento@marinha.pt 

​Através de consultas periódicas à página da Internet da Marinha, aos Diários da República II série, através das Autarquias Locais, Capitanias e Delegações Marítimas ou através de contacto presencial, via telefónica, por e-mail para o Centro de Recrutamento da Armada, em Alcântara (recrutamento@marinha.pt) ou através da nossa página do Facebook (https://www.facebook.com/RecrutamentoMarinha).

​Para concorrer à Marinha é necessário aguardar a abertura dos concursos. Depois de sujeitos a provas de classificação e seleção, os candidatos são ordenados e alistados nas diferentes classes, tendo em consideração o número de vagas abertas a concurso.

​Pode, desde que apresente documento de equivalência ao ensino em Portugal, emitido pelo Ministério da Educação.

As habilitações literárias mínimas é o 9.º Ano de escolaridade para a categoria de Praças em Regime de Contrato.

Não. Com o 12º ano pode também concorrer-se a oficial da classe de fuzileiros ou a praça de qualquer classe, ambos em regime de contrato. No que toca ao ingresso nos Quadros Permanentes, poderá também concorrer à categoria de Praças da Classe de Músicos.

​• Categoria de praça: 24 anos;
• Categoria de oficial fuzileiro: 24 anos (com o 12º ano) e 27 anos (com mestrado ou licenciatura);
• Categoria de oficial (nas classes de técnico superior naval ou técnico naval - TSN/TN): 27 anos.

​Não. O ingresso na categoria de sargentos é efetuado através de concursos internos aos militares na categoria de praças.

​As provas constam de inspeções médicas, provas físicas e testes psicotécnicos. Pode consultá-las aqui.

Pode consultar aqui.

Pode consultar aqui.

​Pode, caso se trate de uma inaptidão temporária.

Pode consultar aqui.

​Sim.

​A Taifa é uma classe onde se desempenham funções equivalentes às desempenhadas no âmbito da hotelaria e engloba as subclasses de Despenseiros, Cozinheiros e Padeiros.

​Não. Nas Forças Armadas não é permitido descer de categoria.

​Ter idade não superior a 21 anos, em 31 de dezembro do ano do concurso.

​Para obter informações detalhadas sobre o assunto, consulte o site escolanaval.marinha.pt, contacte através do e-mail escnaval.divulgacao@marinha.pt ou através dos telefones 808 201 467 ou 210 901 900.

Sim, para a classe de oficiais fuzileiros se quiser ser oficial fuzileiro dos QP é necessário concorrer à Escola Naval e fazer a prova do elenco estabelecido pelo Ministério da Educação de Matemática A. No entanto, caso queria saber mais informações sobre as condições gerais de admissão poderá consultar o link: https://escolanaval.marinha.pt/pt/admissao/condicoesgerais

A duração dos mestrados integrados na Escola Naval é atualmente de 5 anos letivos, de acordo com o estabelecido no processo de Bolonha.
Para mais informação sobre os mestrados integrados consulte o link: https://escolanaval.marinha.pt/pt/ensino/mestradosintegrados.



Sim. Para ter mais informação sobre as provas físicas poderá consultar essa informação em https://escolanaval.marinha.pt/pt/admissao_web/fasesdoconcurso_web/Paginas/provasfisicas.aspx.

Sim, desde que autorizado pelo chefe do estado-maior do respetivo ramo, sejam preenchidos os requisitos necessários para admissão a concurso (idade, habilitações, disponibilidade para cumprimento do contrato, etc).

Em unidades em terra, navios, unidades de fuzileiros ou de mergulhadores.

Pode prestar-se serviço em Portugal Continental ou nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Ao Comando Geral da Polícia Marítima – Repartição de Gestão de Pessoal, Marinha, Praça do Município, 1149-001 Lisboa (Telf. 213 217 620).

​Durante as cinco semanas de recruta pode desistir-se sem necessidade de indemnizar a Marinha. Depois da recruta e do Juramento Bandeira a desistência implica o pagamento de uma indemnização.

​Deverá ser efetuado um requerimento dirigido ao Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, e remetê-lo para a Direção de Pessoal da Marinha (Praça da Armada, 1350-027 Lisboa).

​Os elementos da Polícia Naval são fuzileiros, pelo que para fazer parte desta polícia é necessário concorrer à classe de fuzileiros.

Pode consultar aqui.

​Não. Em algumas classes não está previsto o embarque, designadamente na classe de Músicos, Técnicos Superiores Navais (TSN), Técnicos Navais (TN), Condutores Mecânicos de Automóveis.

​Sim. Qualquer pessoa pode concorrer mais que uma vez a um concurso ou a outros concursos, desde que cumpra com as condições de admissão.